Cultura de formação e interação com a comunidade

Escola Santa Julia Billiart conta com biblioteca aberta à comunidade. Projeto começou em 2014 apoiado pelo Coperjovem e já ganhou muitos adeptos da leitura.

A leitura é uma das melhores formas de se conhecer o mundo. Com base num diagnóstico feito em 2014, por meio de entrevista junto aos pais, professores e alunos, nasceu a Biblioteca Aberta na Escola Municipal Santa Julia Billiart, com apoio do Projeto Educacional Coperjovem (PEC), desenvolvido pela Cooperativa Regional Agropecuária de Campos Novos (Copercampos) e pelo Sistema Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (Sescop).

O Coperjovem é um programa da Organização das Cooperativas Brasileiras desenvolvido pelo SESCOP, com objetivo de disseminar a cultura da cooperação, baseada nos princípios e valores do cooperativismo, por meio de atividades educativas.

A diretora da Escola Municipal Santa Julia Billiart, Caroline Maria Wagner explica que a Biblioteca Aberta teve início em 2014, com encerramento das ações de apoio em 2016 e que segue atendendo a comunidade escolar. Um exemplo de cooperação na área educacional que deu certo.

Caroline Maria Wagner

“Nós temos na Escola, o Programa Coperjovem, desenvolvido pela Sescopo por meio da Copercampos, tem uma pessoa que nos ajuda na escola e presta toda a assistência. Como projeto para os anos de 2014, 2015 e 2016, foi definido junto com a comunidade e professores, que o tema do PEC por três anos seria a Biblioteca Aberta. Isso foi decidido por meio de um diagnóstico feito entre os professores com entrevistas junto aos alunos, oportunidade em que identificamos que os estudantes não tinham o hábito da leitura e que isso vinha de casa. Com base neste diagnóstico em 2014, chegamos à conclusão que a leitura era praticamente zerada em casa e na escola se liam algum livro era porque havia a cobrança dos professores das disciplinas, não por prazer”, relatou a diretora.

Buscando aliar a leitura ao conhecimento e prazer, nasceu então a Biblioteca Aberta, projeto que já obteve excelentes resultados junto à comunidade escolar. Na escola em 2015, para estimular os alunos, foi desenvolvido o “momento da leitura”, período em que alunos, professores e demais colaboradores paravam por meia hora para essa prática. “As leituras eram diversificadas, o material era organizado antecipadamente na biblioteca e todos praticavam. Muitos alunos despertaram o interesse pela leitura de tal forma que já leram inúmeros títulos”, ressaltou Caroline.

Por meio do Projeto Educacional Cooperativo, o acervo de 200 títulos foi doado à Biblioteca Aberta da Escola Santa Julia, com títulos sugeridos por pais e alunos. “Os próprios alunos e familiares que sugeriram os títulos e a literatura é variada, atendendo todas as faixas etárias. Todos podem vir até a escola e retirar esses livros, tanto os familiares, alunos e comunidade em geral. Se o filho não estuda na escola, não tem problema, pode fazer a retirada e fazer a devolução dentro de uma semana a 10 dias, como todos os demais, podendo ser renovado o prazo, caso a leitura não tenha sido concluída”, orientou ainda Diretora Caroline.

Com os alunos das séries iniciais a doação do Coperjovem chegou por meio de gibis, que tem sucesso garantido entre os pequenos leitores. Há ainda a opção da leitura na Biblioteca, espaço que foi reformado pela empresa BRF, uma ambiente inspirador e aconchegante.

*Reportagem publicada no jornal “O Celeiro”, Edição 1478 de 11 de maio de 2017

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui