Empresários podem consultar o cadastro positivo a partir desta quarta-feira

Ferramenta deve diminuir juros para o consumidor e proporcionar mais segurança ao empresário

Instituições financeiras, comerciantes e demais empresas que trabalham com concessão de crédito podem consultar a partir desta quarta-feira (15) as informações do cadastro positivo, um banco de dados que reúne o histórico de pagamento dos consumidores. O objetivo é proporcionar uma análise individualizada, dando mais segurança para o empresário que concede crédito.

As informações do cadastro positivo servem exclusivamente para auxiliar o processo de análise de crédito e só podem ser acessadas por empresas nas quais o consumidor busca crédito. A expectativa é que cadastro possibilite juros menores e condições diferenciadas de acordo com o perfil de risco.

Na avaliação do presidente do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), Roque Pellizzaro Junior, o cadastro positivo é benéfico tanto para consumidores quanto para os empresários. “Agora, o risco da tomada de crédito será analisado de forma mais individualizada, tornando o modelo mais justo. Um dos motivos das taxas de juros serem altas é a ausência de algumas informações sobre os hábitos de pagamento dos consumidores”, afirmou.

Desde novembro do ano passado, mais de 120 milhões de consumidores vem sendo notificados via SMS, e-mail ou correspondência física sobre a abertura automática do seu cadastro positivo. Ao receber a comunicação, o consumidor pode acessar o site de um dos birôs de crédito (Serasa, SPC Brasil, Quod e Boa Vista) e fazer sua consulta.

Nesta primeira etapa, fazem parte do cadastro positivo todos os consumidores que possuem operações de crédito nos cinco principais bancos do país (Banco do Brasil, Bradesco, Caixa, Itaú e Santander) e em outras 100 instituições financeiras. Para os próximos meses, a população não-bancarizada também terá sua oportunidade, pois estão previstas o envio de informações por parte de empresas do varejo, telefonia e concessionárias de água e luz.

“Com a nova medida, as empresas passam a ter acesso a um histórico consolidado de pagamentos feitos no cartão de crédito, crediário e contas de consumo, o que representa muito mais do que uma negativação isolada. Isso torna a análise mais justa para o consumidor e aumenta o nível de previsibilidade para quem concede crédito”, explicou o superintendente de operações do SPC Brasil, Nival Martins.

*Informações: Rede Catarinense de Notícias

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui