Câmara de Vereadores realiza primeira sessão ordinária do ano

Em pronunciamento, alguns vereadores falaram sobre os próximos passos da CPI do Imas.

O Poder Legislativo de Campos Novos se reuniu nesta terça-feira (4) pela primeira vez em 2020. Numa sessão calma os vereadores dissertaram e votaram as indicações, moções e projetos de leis que necessitavam de apreciação. Entre as demandas levadas pelos vereadores estavam pavimentações asfálticas, construção de travessias, manutenção de ruas e estradas.

As indicações da noite foram aprovadas com sete votos, sendo que houve a ausência do vereador Gilson Lopes que estava em viagem a Brasília. Foram votados e aprovados os projetos de lei que dispõe sobre implantação de incentivo financeiro para os profissionais da assistência farmacêutica e sobre a concessão de aumento salarial para os cargos de farmacêutico, atendente de farmácia, auxiliar de odontologia. Moções também foram aprovadas na sessão, na ocasião representantes do Moto Clube Bixo do Mato foram homenageados.

Após a votação cada vereador teve oito minutos para realizar seus pronunciamento, neste momento foi citada a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Imas. O vereador Mancha informou que será feito um requerimento com o pedido para prorrogação de 60 dias da CPI. Na quarta-feira (5) foi realizada uma oitiva e mais pessoas deverão ser chamadas para depoimento. O vereador acredita que a conclusão dos trabalhos que apuram as irregularidades junto a administração do Hospital Dr. José Athanázio aconteça na metade do mês de março.

Os parlamentares estiveram de recesso por cerca de um mês e meio, porém todos afirmaram que estiveram atentos as necessidades do município. Durante esse período eles disseram que visitaram as comunidades, mantiveram contato com a população, acompanharam as obras em andamento. “O trabalho não parou”, declararam. Foram feitas muitas reclamações, muitas observações e mais cobranças por parte do Poder Executivo. Foram citados gastos considerados desnecessários, e a situação das creches que não serão mais em tempo integral.

*Reportagem publicada no jornal ‘O Celeiro’, Edição 1612 de 06 de Fevereiro de 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui