ExpoCampos 2020: Saiba calendário e preparativos

Zezé Di Camargo e Luciano, Maiara e Maraisa , Cesar Paraná e Henrique e Diogo são as atrações contratadas.

Ainda falta muito para a ExpoCampos 2020, que acontecerá de 22 a 24 de maio, mas a já foram confirmados os shows que irão embalar o evento. A dupla veterana Zezé di Camargo e Luciano se apresentará na sexta-feira (22), Henrique e Diego no sábado (23) e Maiara e Maraisa no domingo (24), já os rodeios de Cesar Paraná serão realizados durante os três dias de evento. O investimento para a realização da Expoxampo é de cerca de R$ 1.300 milhões, destes R$ 650 mil é destinado às atrações musicais. O valor investido é decorrente das parcerias, dos patrocínios e comercialização de espaços. A escolha para este ano foi de um repertório todo sertanejo que é preferência na região.

O prefeito Alexandre Zancanaro confirmou a intenção de trazer um show de musica elétrico com Alok, mas por incompatibilidade de agenda o DJ não vem a Campos Novos. A Expo continuará sendo realizada através de parcerias entre a Administração Municipal, Acircan, CDL e do Sindicato dos Produtores Rurais. “Estamos ha três anos realizando a ExpoCampos e a cada ano consolidamos e firmamos o evento no cenário nacional e no calendário do Ministério do Turismo. Estamos crescendo em atrações e também no fomento a indústria, comércio, agricultura e pecuária”, declarou o prefeito em coletiva de imprensa de lançamento oficial.

Para este ano algumas mudanças e melhorias estão programadas. Haverá um palco alternativo que poderá ser alocado pelas rádios que desejarem realizar uma transmissão ao vivo com shows de artistas locais. Quanto a melhorias, o estacionamento é algo que merece destaque neste ano, pois em 2019 foi um problema. Uma das medidas, segundo o prefeito é a utilização do espaço que foi usado no Show Tecnológico da Copercampos e também espaços de fazendeiros na redondeza. “Essa é nossa maior demanda e por isso estamos conversando com as empresas e proprietários para utilizar o espaço. Também temos a preocupação como a acessibilidade para portadores de deficiência terem melhor condição de chegar até o parque”, afirmou ao mesmo tempo em que incentivou o transporte coletivo e solidário.

Também está prevista a melhoria dos pavilhões do comércio para dar mais comodidades aos expositores. A comercialização dos espaços é de responsabilidade da Acircan e da CDL e os empresários interessados já podem procurar as entidades para buscar mais informações. O que os presidentes de ambas informaram é que a prioridade de comercialização será para associados, em seguida para camponovenses e então para empresários da região. Os valores para espaços internos são de R$ 110,00 o metro para associados e R$ 160,00 para não associados. Espaços externos são de R$ 6,00 para associados o metro e R$ 10,00 para não associados. A praça de alimentação será R$ 160,00 o metro para associados e R$ 180,00 reais para não associado. O prazo para aquisição será ate o dia 15 de março para associados e até o dia 30 de março para os demais interessados.

Pecuária em Destaque

O Sindicato dos Produtores Rurais, um dos parceiros na realização da Expocampos, é responsável pela parte da pecuária, um setor crescente em Campos Novos. Paralelo ao evento a entidade realiza a 37° edição da tradicional Feira do Terneiro e da Terneira. O presidente Luiz Sergio Gris diz que para 2020 haverá um incremento de mais 100 animais de exposição. “Esse ano queremos chegar a 300 animais. Serão 8 raças expostas e 4 irão a julgamento. Para a Feira do Terneiro esperamos mais de 500 animais”, declarou. Positivo sobre o evento, Gris quer bater o recorde de faturamento. “A pecuária está atravessando um bom momento. Ano passado movimentamos R$ 1 milhão, esse ano queremos chegar a R$ 1,5 milhão de negócios na pecuária. Teremos o leilão e a exposição de cavalos. Queremos elevar Campos Novos no cenário estadual e nacional”, completou.

O Sindicato também está empenhado na reforma do restaurante do Parque Leonidas Rupp, ambiente que será utilizado na Expocampos. No que diz respeito a parte externa do parque, Gris afirma que serão feitos apenas retoques. “Vamos focar mais em hidráulica e elétrica e a cobertura dos pavilhões. Os investimentos se reduzem, mas precisam ser constantes para termos um local adequado e que possamos ter mais ventos durante o ano”, conclui Gris.

*Reportagem publicada no jornal “O Celeiro”, Edição 1615 de 27 de Fevereiro de 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui