E agora?

A covid-19 chegou por aqui e o vírus que causa medo nas pessoas possivelmente está circulando no município. Por dias acompanhamos as notícias sobre notificação e respiramos aliviados cada vez que um caso era descartado e a torcida aumentava para que o vírus não fizesse vitimas no município. Levantaram as muralhas de proteção, mas ele é imbatível e surgiu sorrateiro. E agora o que fazer?

Ainda não há um meio de combate-lo de frente, mas há coisas que podemos fazer, dentro de nossas circunstâncias, para enfrenta-lo ao máximo e lidarmos com a ansiedade que ele causa. Em primeiro lugar é preciso ressaltar as medidas de higiene e prevenção, que são repetidas diariamente em todos os meios de comunicação. As pessoas já decoraram, mas incrível que, mesmo assim, ainda há uma certa resistência ou mesmo um acato pela metade. Quem nunca viu por aí alguém com a máscara no queixo? É preciso esclarecer que o que protege não é o fato de estar com a máscara no rosto, mas sim quando ela cobre nariz e boca. Algo tão simples parece ser tão difícil de entender. O uso de máscara incomoda, as pessoas não estão acostumadas a usa-las, mas se entenderem que o uso correto é o mais eficaz elas vão fazer isso sem precisar de nenhum documento que as obrigue a isso. Segue mais algumas orientações que você já sabe, mas precisa acatar: higienização constante das mãos, evitar tocar olhos e nariz, encarar com seriedade o distanciamento social, lavar bem os produtos que traz do supermercado, lavar as roupas que usou quando saiu… preste bem atenção… não é só para aprender, é para aplicar, viu?

Só isso? Estas são medidas importantes, mas há algo muito importante que deve ser cuidado com carinho: a saúde mental. Há quem diga que se não adoecer pelo Coronavírus vai adoecer de ansiedade, e faz sentido. A ansiedade gera uma infinidade de sintomas que vão desde o pânico a alta da pressão arterial. O medo aprisiona e maltrata o emocional causando problemas a longo prazo. Calma. A situação está difícil, mas é apenas uma fase. Pense no que pode fazer agora por você e por sua família, mas não entre em pânico. Pense no futuro também, depois que tudo isso passar você vai poder encontrar com amigos, abraçar aquelas pessoas que faz tempo que você não vê. Vai poder fazer aquela viagem que estava programada e teve que adiar, vai poder dar prosseguimento aos planos, ou repensar novas metas. Os encontros, as viagens e os abraços terão muito mais significados. O mundo não acabou. Momentos alegres estão reservados para quem sabe esperar. Apenas se cuide e viva um dia de cada vez.

Por:
Priscila Nascimento, Jornalista

*Editorial, publicado no jornal ‘O Celeiro’, Edição 1627 de 21 de maio de 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui