Leilões online agradam e modalidade deve continuar mesmo após pandemia

Praticidade e maior abrangência são alguns dos benefícios dos eventos não presenciais.

Em um formato inovador o Sindicato dos Produtores Rurais de Campos Novos realizou a 37ª edição da tradicional Feira do Terneiro e da Terneira: Desta vez o evento aconteceu em formato presencial e virtual, aderindo a tendência dos leilões online que estão sendo realizados em todo o estado de Santa Catarina. Devido a recomendação do distanciamento para evitar a disseminação da Covid-19 o agronegócio encontrou no espaço virtual a solução para continuar girando e a iniciativa deu certo e deve continuar a ser utilizada mesmo após a pandemia.

Luis Sergio Gris Filho

O presidente do sindicato no município, Luis Sergio Gris Filho, se mostrou contente com a realização da feira. “A Feira do Terneiro foi muito satisfatória, foi um passo inovador num formato diferente. É uma modalidade que veio para ficar. Teremos que aderir a esta modalidade nos próximos eventos. Foi uma experiência nova para a organização, para os produtores rurais e para quem está comprando os animais de forma não presencial”, declarou Gris, ressaltando que a modalidade traz praticidade e maior abrangência. “O maior benefício que vimos deste formato de leilão é a praticidade. Os comprados podem comprar um animal de sua própria casa. Também temos uma abrangência maior de público. Pudemos atender pessoas de todo o estado”, completou. O evento que ocorreu no sábado (23), no Parque Leônidas Rupp, comercializou 280 animais e movimentou R$ 550 mil. Gris destacou as médias alcançadas pelos gados comercializados pelos produtores. “Tivemos médias de 8 a 11 para os terneiros e de 7,96 para as terneiras, uma média alta no estado. O preço do gado se mostrou muito firme na praça e nós estamos muito contentes com isso”, afirmou. O próximo evento promovido pelo sindicato será a Feira da Primavera que acontecerá no dia 20 de agosto.

O leilão ocorrido em Campos Novos segue uma sequência de eventos que estão ocorrendo em todo o estado como forma de manter ativo o setor da pecuária. Não apenas no município, mas em todos os locais em que a modalidade foi inserida houve um posicionamento positivo sobre a modalidade virtual de leilões. Esta foi uma conquista para os produtores que se viram preocupados com os impactos da pandemia na comercialização de seus animais. Os animais são filmados em seu recinto e as imagens são transmitidas via internet. Água Doce, São Miguel do Oeste, Caçador, Concordia e Lages são alguns dos municípios já realizaram leilões neste formato. A inovação tornou o evento diferente, mas a qualidade dos animais continua sendo elevada, fator que é fruto de investimento dos produtores que sabem que o mercado é cada vez mais exigente. As raças e a genética dos animais são analisadas pelos compradores que desejam o melhor para garantir um bom plantel.

Por se tratar de uma modalidade mista, é possível que um número pré-estabelecido compareça ao local, contanto que sigam as normas recomendadas por decreto para a realização dos eventos. Entre as regras estabelecidas pela portaria 242 para a regulamentação dos leilões virtuais estão o uso obrigatório de máscaras para todas as pessoas que trabalham nos leilões e nas feiras e o distanciamento mínimo de um metro e meio. A visitação dos animais nos recintos de leilões também deverá ter agendamento prévio por lote, com controle de acessos para evitar aglomerações, além da disponibilização de álcool em gel 70% em locais estratégicos para higienização. Os estabelecimentos devem, ainda, fixar cartazes informativos com orientações sobre higiene das mãos, etiqueta respiratória e normas de precauções. O presidente da Faesc, José Zeferino Pedrozo, é um grande apoiador de medidas que fomentem o agronegócio, e por isso lutou pela realização dos eventos virtuais. Para ele a aprovação do Estado foi uma conquista e um avanço para o setor que soube se reinventar nesta época do ano em que os produtores comercializam seus animais.

Remate Pecuária em Abdon Batista também é destaque

O município de Abdon Batista também aderiu aos leilões virtuais e realizou no último final de semana a 9ª edição do Remate da Pecuária Abdonense. Foram comercializados 470 animais, entre terneiros, novilhas e bois. O leilão aconteceu na modalidade virtual e o acesso de visitação do público nas mangueiras foi controlado, seguindo as normas sanitárias de prevenção a Covid-19. Promovido pela APECORTE (Associação dos Pecuaristas de Corte de Abdon Batista) e apoio da prefeitura de Abdon Batista, a feira reuniu 69 lotes de gado de corte, a maioria cruza da Raça Devon, sem registro.
Segundo os organizadores a comercialização finalizou em R$735 mil, sendo a média do terneiro até dez meses em R$7,74, a terneira até 10 meses em R$ 7,34, a novilha fechou em R$ 7,40, boi R$ 6,13 e touro a R$ 9,73. O evento foi realizado nas mangueiras do Parque Municipal de Eventos Eutímio Pucci Ceregatti e oportunizou também a comercialização de produtos em benefício da APAE Vida Nova de Abdon Batista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui