Preparando o solo: Produtores rurais apostam na safra do Trigo

Propriedades terão auxílio de equipamentos para o tratamento da terra.

Investir na terra é tarefa para guerreiros, pois são muitos os desafios mesmo após a colheita quando se inicia outra importante atividade: Trata-se da correção com nutrientes para a construção de um perfil fértil do solo. Nesta etapa o produtor rural precisa de ajuda para preservação e tratamento da terra. Para ajudar os clientes e associados nesta fase a Copercampos disponibiliza corretivos de alta qualidade e investe no processo de distribuição destes nutrientes. Dois caminhões estão disponíveis e estão executando os serviços para que o produtor rural adquira corretivos e conte com a distribuição eficiente dos produtos na lavoura. Esta iniciativa será muito importante para a produção de grãos, como o trigo, que será semeado no final de junho e início de julho.

A expectativa, é de que os produtores invistam mais neste cereal, desejando que a cultura tenha liquidez e com isso, melhores preços. Nesta safra de 2020, os produtores associados da Copercampos estão otimistas e acreditam no potencial do trigo. A expectativa da equipe técnica da cooperativa é de que a área plantada aumente em 30%.

De acordo com o Eng. Agrônomo Marcelo Luiz Capelari, a boa valorização do trigo neste momento, somado a opção de venda em mercado futuro e a necessidade de otimização da propriedade, refletem neste incremento de área. “Estamos visualizando um bom cenário de plantio da cultura. Nas últimas safras houve uma redução de área plantada e agora, uma intenção de semeadura maior. Isso se dá pela necessidade de utilização de máquinas, manejo e cobertura de solo, além da maior valorização do trigo nesta safra. Na Copercampos temos a opção também de venda em mercado futuro, com preços atrativos devido a alta do dólar, pois essa venda futura é para trigo exportação, então, o conjunto possibilita ao produtor, o investimento neste cereal”.

Entre os associados da Copercampos, a expectativa é de que sejam semeados, 14 mil hectares de trigo. Em Campos Novos/SC, por exemplo, serão aproximadamente 4,5 mil hectares, contra 3 mil/ha na safra de 2019. Com exceção da safra passada, onde as plantas sofreram com a estiagem que assolou a região, as médias produtivas na região são boas. “O investimento do produtor é para colher acima de 70 sacos/ha de trigo. Na safra passada, a média fechou abaixo dos 50 sacos/ha, mas nas anteriores, tivemos excelentes resultados. O custo de produção da cultura pode chegar a R$ 3 mil, então, o produtor deve buscar altas produtividades para obter rentabilidade com o cereal”, finalizou Marcelo.

Distribuição.

Tão importante quanto os frutos é o solo que os abriga, portanto ele precisa ser cuidado da melhor forma. Com a iniciativa da Copermapos de disponibilizar os caminhões será possível garantir maior precisão na distribuição de corretivos. De acordo com o Gerente Técnico e de Insumos Edmilson José Enderle (Chú), os dois caminhões disponíveis nesta safra, possibilitam a distribuição de corretivos em taxa variável e também taxa fixa. “Agora os produtores adquirem os corretivos de alta qualidade em nossa cooperativa e fazem a distribuição eficiente nas lavouras. É mais um serviço para atender as necessidades dos agricultores nesta busca incessante por melhores resultados no campo, com economia de produto e rentabilidade na colheita”.

Os caminhões da Copercampos são equipados com distribuidor Hércules 24000, que permite o trabalho com diversos produtos como calcário, gesso agrícola, fertilizantes e também sementes. Os veículos foram equipados com GPS Modelo Topper 5500, de fabricação nacional pela empresa Stara. Com a distribuição em taxa variável, o produtor otimiza o trabalho e os custos com insumos, garantindo precisão e uniformidade na distribuição, aliando a isso, alta velocidade de aplicação, de até 18 km/h. O caminhão Hercules apresenta ainda capacidade de carga para 12 m³ e autonomia de 1.200 ha/dia.

Em Barracão/RS, por exemplo, a associada Andrea Magarinos Bergamo contratou os serviços. Seu irmão, Adriano Magarinos, esteve acompanhando o trabalho. Segundo ele, melhorar a fertilidade e o perfil de solo é essencial. “Esse investimento tem retorno, principalmente em anos de estiagem como o enfrentado agora. É preciso construir um perfil de solo de qualidade e vemos que há uma uniformidade de distribuição com os equipamentos da cooperativa. Com este serviço, a Copercampos possibilita que todos os agricultores tenham acesso à tecnologia e usufruam de todo o portfólio de produtos oferecidos na cooperativa”, ressaltou.

*Reportagem publicada no jornal ‘O Celeiro’, Edição 1627 de 21 de maio de 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui