Dores no joelho: O que preciso saber?

A dor anterior do joelho também é conhecida como síndrome patelofemoral dolorosa (SDPF) ou condromalácia patelar, e é uma das causas mais comuns das doenças nessa articulação. Além do quadro álgico, causa crepitação, diminuição e/ou limitação das atividades do indivíduo.

A SDPF é prevalente em indivíduos jovens e fisicamente ativos, sendo que 70 a 90% deles tem dor recorrente ou crônica. O movimento excessivo e repetitivo, associado com o mau alinhamento da articulação patelofemoral, podem favorecer uma sobrecarga aumentada na região do joelho, provocando a SDPF ou até mesmo o desgaste precoce da cartilagem articular, ocasionando problemas como a condromalácia patelar e osteoartrose do joelho (gonartrose).

O diagnostico e realizado por meio de uma avaliação das queixas do paciente e de um exame físico. É rotineiro a solicitação de exames que podem variar de raios-x, tomografia ou ressonância magnetica. Desta forma pode-se verificar qual o grau de comprometimento da articulação do joelho e direcionar o tratamento do problema.

Isso porque nem toda condromalácia é igual, durante o diagnóstico, se pode definir qual o grau da condromalácia de acordo com o estado da cartilagem. No grau I há apenas amolecimento superficial. O grau II há comprometimento da camada superficial e da área um pouco abaixo. No grau III há acometimento de 50% da espessura da cartilagem e no grau IV, a lesão é total.

O tratamento normalmente é não cirúrgico. Medicaçoes como condroprotetores, cita-se o UCII (colágeno não hidrolisado) e fisioterapia adequados normalmente curam a condromalácia. Atualmente, existem medicações como o ácido hialurônico (Orthovisc, Synvisc, etc), que cumprem a função de fazer uma viscossuplementação no joelho para proteger a cartilagem e repará-la adequadamente. A terapia indicada depende de avaliação especializada e de cada caso avaliado.

A viscossuplementação é um tipo de tratamento utilizado para repor os fluídos (líquido sinovial) nas articulações com desgaste ou inflamação. De uma forma mais prática, seria como colocar um “lubrificante” entre as estruturas ósseas e cartilaginosas das articulações para que diminua o impacto e a dor. Nos pacientes que possuem inflamação da cartilagem o líquido sinovial, já existente nas articulações do corpo, pode estar menos viscoso que o normal, o que provoca um aumento de atrito maior entre as cartilagens.A viscossuplementação pode proporcionar alívio significante dos sintomas, além de ser um procedimento seguro.

Por fim, nos casos refratários às terapias citadas, indica-se o tratamento cirúrgico, que normalmente é realizado por meio de videoartroscopia (cirurgia por vídeo) com prazo de recuperação e resultados que dependem grandemente do grau de comprometimento articular, dentre outros fatores.

Por: Leonardo Mesquita Cruz
Ortopedista e Traumatologista
CRM 3.197 | RQE 5.862

Ortoclin
Fone: (49) 99154.0688
Edifício Santa Clara
R. Cel. Farrapo, 408,
3º andar sala 302 – Centro

*Coluna ‘Corpo e Movimento’, publicado no jornal ‘O Celeiro’, Edição 1632 de 25 de junho de 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui