Empresas de transporte turístico criticam governo de SC por manter a suspensão das atividades

Entidade ligada ao setor lançou nota ressaltando que transportes municipais e aeroportos possuem autorização para funcionar

Nesta terça-feira (2) a Associação das Empresas de Transporte Turístico e Fretamento de SC (Aettusc) lançou uma nota contestando a decisão do governo do Estado manter a suspensão das atividades de transporte interestadual em território catarinense até o dia 2 de agosto.

Na nota, a Associação cita o fato de que os transportes intermunicipais e os coletivos urbanos já estarão liberados a partir do dia 8 de junho. Outro ponto mencionado pela Aettusc, é que os aeroportos seguem funcionando, o que acaba “priorizando aqueles que possuem maior poder aquisitivo”.

As empresas do segmento defendem que possuem a capacidade para realizar suas viagens com os protocolos de segurança estabelecidos pelas autoridades de saúde e sem prejuízo aos funcionários e aos usuários.

Confira a nota na íntegra:

“É incompreensível aos empresários do transporte turístico e fretamento de Santa Catarina a decisão do governo estadual de estender a suspensão dos serviços até 2 de agosto. Principalmente devido à liberação do transporte coletivo urbano, a partir de 8 de junho, além de os aeroportos estarem abertos ao recebimento de voos, por exemplo. As empresas que operam no segmento possuem toda a capacidade de realizar suas viagens com os protocolos de segurança estabelecidos em vários países, em conformidade com a OMS e sem prejuízo à saúde dos colaboradores e dos usuários.

A Aettusc considera inconcebível priorizar aqueles com maior poder aquisitivo – que podem viajar de avião, meio de transporte sem restrições de número de passageiros – enquanto os menos afortunados ficam privados de deslocamento. Sem esta óbvia e necessária isonomia, temos um resultado devastador, visto que as empresas de turismo e fretamento representam 30 mil colaboradores e cerca de 150 mil dependentes impactados. A paciência acabou! Protestos já foram realizados em todas as regiões do estado diante deste disparate.

Em nenhum lugar do mundo foi realizada uma suspensão por tão longo período no setor. São centenas de demissões, empresas falindo – muitas delas familiares – e um colapso completo. Enquanto isso, diversas outras operam na ilegalidade, diante da inoperância do Executivo estadual, que faz ‘vista grossa’ à concorrência desleal. Quem é punido com esta decisão é justamente o empresário que age dentro da lei, paga seus impostos e contribui para o desenvolvimento de Santa Catarina. Por isso, a entidade está acionando judicialmente o governo estadual para o ressarcimento pelos prejuízos causados por esta atitude irresponsável.

Florianópolis, 02 de junho de 2020.

José Marciel Neis

Presidente da Associação das Empresas de Transporte Turístico e Fretamento de SC (Aettusc)”

*INFORMAÇÕES: REDE CATARINENSE DE NOTÍCIAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui