As mulheres na política

O progresso à volta de assuntos femininos está sendo discutido abertamente na sociedade brasileira e estão ganhando espaço no contexto político.

A luta por temas como assédio, aborto, maternidade e profissão estão progredindo em todo o mundo.

Nas últimas décadas, o direito ao voto e ao de serem eleitas obteve um grande avanço, mas a representatividade das mulheres na política ainda está muito distante.
Há resistência por mulheres tomarem decisões políticas, ocuparem cargos de poder, e terem voz ativa por motivos históricos da exclusão da mulher causando assim baixa representação no governo.

No nosso país a representatividade feminina é a menor da América Latina, e há décadas poucos avanços existiram em relação a esse assunto.

Em um cenário em que 51% dos eleitores são mulheres a taxa de representatividade desde câmeras de vereadores até senado federal são muito baixas no Brasil.

Não há o alcance de poder nos Estados, de maneira igualitária, deixando as mulheres ao limiar nos processos de elaboração das políticas públicas, não encontrando-se representadas no sistema político.

O recurso de cotas eleitorais, que determina quantidade mínima de participação de gênero no processo eleitoral, não está contribuindo de fato para aumentar a atuação e o acesso das mulheres ao poder.

A aplicação das cotas está sendo questionada devido a candidaturas laranjas, ou de mulheres que não tem interesse em pleitear cargo político usando disso para os partidos conseguirem legalizar o processo eleitoral.

A não igualdade de gênero, nesses casos, causam consequências que interferem na concretização das políticas públicas específicas para as mulheres.

A ausência de mulheres nos cargos de decisão não permite discussões sobre assuntos fundamentais na saúde, na segurança pública, tais como o uso do transporte público e ocorrência de violências decorrentes de assédio.

Há necessidade de pensamento diferenciado para resolução de preconceitos e dificuldades na participação das mulheres na política.

Para finalizar, precisamos colocar em prática ações com a finalidade de melhorar a representação das mulheres na política com a efetiva inclusão e representatividade no meio público contribuindo para a maior igualdade entre homens e mulheres no processo eleitoral contribuindo para uma sociedade civil melhor.

Por: Valquiria Sampaio Mêra

Advogada – OAB/SC 31.205
VSM ADVOCACIA

*Coluna ‘Direito de Todos’, publicada no jornal ‘O Celeiro’, Edição 1649 de 22 de outubro de 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui