Poder SC – 019 – Sem resposta

O governador Carlos Moisés da Silva, quando retornou efetivamente ao cargo em 27 de novembro, anunciou um grande pacote de investimentos para Santa Catarina que soma R$ 10 bilhões até o final de 2022. São R$ 5,5 bilhões para infraestrutura, R$ 2,3 bilhões para a retomada econômica e R$ 1,7 bilhão para planejamento hídrico. A proposta é interessante e contempla áreas importantes, mas até agora o Executivo não detalhou as propostas e as secretarias não sabem dizer onde o recurso será utilizado. É de se esperar que o governo, ao chegar em uma cifra bilionária, tenha feito algum cálculo de custos e projeções, com obras e municípios contemplados, pelo menos em uma estimativa regional. Além disso, faz parte da boa gestão pública a transparência, o que permite que a imprensa e os poderes constituídos possam cobrar lá na frente o que foi prometido agora. O que está previsto nestes R$ 10 bilhões?

FILME REPETIDO

A cobrança é para que não aconteça problema semelhante ao do Projeto Recuperar, quando o Executivo prometeu dobrar os recursos destinados à manutenção de rodovias estaduais, mas, na prática, pouco foi feito. É claro que a pandemia atrapalhou, porém o problema vem desde 2019, quando foram repassados apenas 16% do prometido. O objetivo do Executivo, à época, era ultrapassar a marca de R$ 400 milhões em manutenção de SCs nos quatro anos de governo. Até agora, na metade do mandato, o montante não passou de R$ 100 milhões.

– GOVERNO DE SC vai investigar uma suposta ação irregular de um servidor da Casa Civil no Sul do Estado. A suspeita é de que ele, que tem cargo efetivo no Núcleo de Gestão de Convênios em Tubarão, tenha atuado como vereador em Garopaba durante período de afastamento para tratamento de saúde. O parlamentar pertence ao PP.

– AOS poucos, a Assembleia Legislativa vai montando sua nova cara para 2021 e 2022. Além da troca na presidência, que será divida por Mauro de Nadal e Moarcir Sopelsa (MDB), também serão definidos novos nomes para as comissões permanentes. É uma nova chance de barganha e negociação.

– DESDE a saída de Paulinha (PDT) da liderança de governo no final de outubro, o cargo permanece vago. Daniela Reinehr não conseguiu convencer um nome a seu gosto, e Carlos Moisés não anunciou ninguém até então. Todos já pensando no ano que vem, com novo desenho de governo, sem pressa.

*Coluna ‘Poder SC’, publicada no jornal ‘O Celeiro’, Edição 1657 de 17 de dezembro de 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui