Olho do Futuro: Prefeita de Vargem reconhece evolução, mas tem foco no amanhã

Milena Lopes segue convicta das dificuldades que irá enfrentar em mais um mandato, mas garante que vai se dedicar em trabalhar pelo município.

Em entrevistas ao jornal o Celeiro, a prefeita de Vargem, Milena Lopes, declarou que tem o sentimento de dever cumprido ao lembrar todo o empenho que fez para ajudar o município a se desenvolver. Porém, ainda há muito a fazer para promover mais avanços na saúde, educação, agricultura, obras e assistência social. Nestes 16 dias de governo, Milena está focada no presente e no futuro do município. Facilidades ela sabe que não terá, mas está preparada para lidar com os desafios que deverão surgir.

Por falar em desafios, o ano mal começou e Milena já foi surpreendida com mais precatórios da gestão do ex-prefeito que pesará no orçamento da administração atual. “Nesta semana chegaram mais quatro mandatos judiciais com mais dívidas do ex-prefeito. São contas que ainda teremos que pagar da antiga gestão em 2021. Temos nossa previsão orçamentária financeira, mas temos essas surpresas e aprendemos a remanejar essas coisas para poder dar conta de tudo, inclusive da demanda do município”, lamentou Milena.

Apesar de todo o esforço para manter as finanças, Milena diz ainda que 2021 será um ano complicado em virtude dos reflexos da pandemia. “A projeção para 2021 é delicada, por conta da pandemia a arrecadação caiu. Temos em torno de R$ 2 milhões a menos de previsão orçamentária. Mas também temos muita expectativa em relação a retomada das obras da Usina São Roque ainda este ano isso nos dará um fôlego”, acredita.

Com sua experiência frente a administração, a prefeita avaliou o que deve prosseguir e deve ser descontinuado. Por isso, ela já iniciou algumas mudanças. “Estamos no segundo mandato, mas não vamos dar uma seqüência igual ao primeiro, até porque as realidades são diferentes. Mas vamos sempre seguir na linha da transparência, com aplicação de recursos de forma adequada. Mas haverá mudanças em relação ao corpo do governo, por exemplo. Por enquanto o vice-prefeito assume a Secretaria de Obras, algumas secretarias ficarão sem secretários, como a agricultura e o social, até por conta da economicidade”.

Para alcançar e concretizar os planos e projetos para este novo mandato, Milena preza pela boa relação com os deputados e senadores, que periodicamente atendem suas solicitações. “Nós terminamos o ano de 2020 com boas notícias devido a boa relação com os parlamentares. Foram milhões conquistados para Vargem. Eu vejo que isso é um retorno do parlamentar com a sociedade, eles estão ali para nos representar. Sem esse retorno os municípios de pequeno porte não teriam como evoluir em infra-estrutura, investimento, por conta da baixa arrecadação. A transformação das cidades depende do apoio deles, e por isso estamos sempre em busca de parcerias e recursos”, declarou.

Milena vê o desemprego como um dos problemas pontuais no município, e será um dos pontos prioritários para ela. “Queremos desenvolver emprego e renda e continuar focando na infraestrutura, saneamento básico e a manutenção da saúde pública de qualidade além da obrigação município, pois bancamos muitas coisas que são de responsabilidade do Estado e União. Nossa prioridade também é o combate a pandemia e a retomada da economia”.

A questão do saneamento e distribuição de água foi apontada por alguns como um dos problemas que ainda necessitam de atenção, e Milena garante que até o final do mandato todas as comunidades serão atendidas com água. “Aguardamos a empresa começar a rede de água de Di Domenico e Gramado. Serão quatro comunidades atendidas. O problema da água é generalizado, e com a estiagem foi ainda pior. Em 2021 espero ter todos os poços perfurados. Eu não posso garantir um poço em cada comunidade, mas todos terão água”, afirma Milena, garantindo que honrará os munícipes.

Fecam e Amplasc

Além da responsabilidade como prefeita de Vargem, Milena também foi escolhida como vice-presidente da Federação Catarinense de Municípios (Fecam) e da Associação dos Municípios do Planalto Sul (Amplasc). Como integrante da equipe, ela pretende atuar para beneficiar os munícipes. “Apesar de ser vice-presidente das duas entidades, eu gosto de ser participativa. Precisamos ver qual a necessidade atual dos municípios. Temos uma causa municipalista para defender em beneficio das pessoas. Tanto a Amplasc como a Fecam são um braço dos municípios, elas dão suporte a eles, principalmente os de pequeno porte”, finaliza.

*Reportagem publicada no jornal ‘O Celeiro’, Edição 1660 de 21 de Janeiro de 2021.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui