Poder SC – 029 – MDB reage

Maior partido de Santa Catarina, o MDB deu o primeiro passo para a disputa de 2022. Na última segunda-feira (22), o diretório estadual do partido reuniu-se em Florianópolis e decidiu que o próximo candidato a governador será escolhido em prévias com a votação de todos os 187 mil filiados no Estado. São opções até o momento o prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli; o deputado federal e presidente da sigla Celso Maldaner, e o senador Dário Berger (os três, respectivamente, acima). A decisão pode ser vista, em primeira análise, como um retorno às bases após a derrota retumbante de Mauro Mariani em 2018, quando o candidato emedebista sequer chegou ao segundo turno. O diagnóstico é correto: um candidato escolhido de cima para baixo tende a ser mais frágil. Por outro lado, um candidato apontado pela maioria terá mais respaldo e mobilização.

TEM MAIS

A decisão tomada pelo MDB é um marco importante na política catarinense, mas é preciso olhar para outros aspectos. Uma reunião de diretório em fevereiro de ano ímpar para decidir algo que poderia ser definido mais para frente pode ser entendido claramente como um recado para a bancada na Alesc, que se aproxima do governo de Carlos Moisés.  É uma sinalização pública de que boa parte dos caciques da sigla não compactua com o movimento dos deputados estaduais. De quebra, a decisão fortalece os recém-empossados 96 prefeitos do partido.

– O STF acolheu reclamação da Procuradoria da Alesc e devolveu o mandato ao deputado estadual Julio Garcia (PSD). O despacho do ministro Edson Fachin poupa o parlamentar de apresentar um pedido de habeas corpus no Tribunal Regional Federal. Um pedido particular, e não do Parlamento, poderia ter outro resultado.

– MINUTA do pedido de habeas corpus estava nas mãos de Garcia no dia em que saiu a decisão do STF. Ele retornará ao Parlamento estadual, mas a disputa com a Justiça Federal continua. Virou réu na primeira denúncia e tem mais uma em análise.

– A ALESC iniciou a instalação das comissões permanentes. Destaque para a Comissão de Constituição e Justiça, que será liderada por Milton Hobus (PSD), e a Comissão de Finanças e Tributação presidida por Marcos Vieira (PSDB).

*Coluna ‘Poder SC’, publicada no jornal ‘O Celeiro’, Edição 1665 de 25 de Fevereiro de 2021.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui