Poder SC – 034 – A vez de Daniela

Um afastamento de governador após um processo de impeachment é algo inédito para um Estado. Dois, era inimaginável. O julgamento que culminou com o afastamento – novamente – de Carlos Moisés da Silva surpreende de diversas maneiras. A primeira é que o ex-chefe do Executivo havia se articulado politicamente para manter a governabilidade, o que se mostrou efetivo nos quatro votos favoráveis que teve entre os deputados. A segunda é de que, superada a crise política de 2020, muitos atores – em especial o empresariado – desejava estabilidade política a fim de gerar estabilidade econômica. Ao que parece, a decisão surpreendeu a própria vice Daniela Reinehr, que aproveitou o final de semana para tomar pé da situação do Estado e pensar em possíveis mudanças no secretariado. Na segunda (29) ela esteve em Brasília para reunião da bancada federal catarinense com Jair Bolsonaro. Na foto, deputado estadual Sargento Lima (PL), Bolsonaro, Jorginho Mello (PL) e Daniela (sem partido).

SILÊNCIO

Da primeira vez em que foi afastado, Moisés recebeu a imprensa na Casa d’Agronômica para reafirmar a tese de que era inocente e ia se livrar do processo. Àquela altura, ele tinha os votos de quatro desembargadores, o que garantia seu retorno. Já iniciou o período de afastamento prometendo muito trabalho – uma certeza de que iria voltar. Desta vez, o governador descartou falar após o julgamento. Nem no dia seguinte, quando poderia fazer algum gesto político. Preferiu o silêncio.

– O INGRESSO de Sargento Lima no PL abre caminho para a formação da casa bolsonarista em 2022. Além dele, outros devem partir para ajudar a construir a candidatura de Jorginho Mello ao governo de SC com o apoio do presidente Jair Bolsonaro. O inverso é verdadeiro: uma candidatura ao governo puxa votos para postulantes ao Parlamento.

– DOS quatro crimes de responsabilidade atribuídos a Moisés na denúncia, apenas um foi aceito: ordenar despesas sem a observância das prescrições legais no caso da compra dos respiradores. Um de quatro. Isso significa que Moisés foi absolvido dos outros três possíveis crimes citados na denúncia. É um ponto positivo em meio a um afastamento frustrante.

*Coluna ‘Poder SC’ publicada no jornal ‘O Celeiro’, edição 1670 de 01 de abril de 2021.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui