Quero empreender, e agora?

A decisão de empreender é acompanhada por questões que devem ser analisadas criteriosamente por quem deseja iniciar seu próprio negócio, pois a maior parte dos empreendedores enfrentam os mesmos questionamentos:

“Sempre trabalhei como funcionário, CLT, mas desejo iniciar minha própria empresa, como faço?” “Acabei de me formar, agora quero abrir minha empresa!” “Fui demitido, vou pegar o dinheiro da rescisão e abrir minha empresa!” “Estou insatisfeito com meu trabalho, quero ser meu próprio chefe!”

Entretanto, alguns elementos são essenciais para concluir a questão, entre eles:

Estou preparado e aceito os riscos do negócio? Ao tratar de riscos, na maioria das vezes o empresário não tem conhecimento, ou se tem, é mínimo.

A empresa, é a personificação das atitudes, comportamentos, aparência, relacionamento e postura do empresário. Empresas são feitas para durar, além dos anos e das gerações. Cabe ao empresário se adaptar, transformar e perseguir seus objetivos.

A utilização de contrato de trabalho defasado, com cláusulas amplas e sem objetividade; falta de conhecimento sobre LGPD e COMPLIANCE TRABALHISTA; crenças que treinamento da equipe, normas e regimento interno é dinheiro jogado fora; são exemplos de empresários estacionados no tempo, que necessitam de atualização.

A organização e estruturação do RH, através de métodos de treinamento e supervisão aplicados desde o estagiário ao diretor, pode assegurar tranquilidade quando se trata de passivo em relação ao quadro de funcionários.

Por: Vagner Tamanini, Advogado OAB-RS 119543

É de fundamental importância o estudo detalhado das especialidades oferecidas por cada empresa e sua cultura para que sejam conhecidos os passivos em desenvolvimento, permitindo a elaboração do código de ética e padrões de conduta com objetivo de mitigar o risco de prejuízos indesejáveis aos negócios, que muitas vezes acarretam falência da empresa. Esperar que juízes decidam o destino de sua empresa não é e nunca foi a melhor alternativa, seja qual fora a área. Previna e prospere junto com sua empresa, esta que reflete a disciplina, postura e estado de espírito do empresário.

Portanto, o ponto de partida para o sucesso e prosperidade da empresa, é a doutrina e disciplina e exemplo do empresário.

Por: Vagner Tamanini, Advogado OAB-RS 119543
Pós-graduando Direito Empresarial, Pós-graduado Direito Trabalhista
Membro de Equipe Projeto Pessoas & Empresas
Contato: (54) 9977-2062

*Coluna ‘Pessoas &Empresas’, publicada no jornal ‘O Celeiro’, Edição 1677 de 20 de maio de 2021.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui