Campos Novos ganha Procuradoria Especial da Mulher

Na manhã desta sexta-feira (23) a Procuradoria Especial da Mulher foi implantada no município de Campos Novos. Antes da inauguração oficial do espaço, que funcionará nas dependências da Câmara Municipal de Vereadores, houve uma breve sessão em que os envolvidos e convidados discursam sobre a importância dessa conquista. Poucas vezes, como hoje, a mesa da Casa Legislativa estava composta por cinco mulheres e seis homens, representando um quadro de igualdade naquela Câmara de vereadores.

A promotora Raquel Betina Blank, a sargento Katia Kunen Tragancin, a presidente do Conselho Municipal da Mulheres, Sibely Wrubel, e a psicóloga e policial Civil Barbara Redantes, foram as convidadas que estiveram na mesa de honra representando cada cidadã de Campos Novos. O projeto de autoria da vereadora Celina, que assumiu como Procura da Mulher no município, hoje se tornou realidade. A pequena e bem decorada sala está preparada para receber as demandas das mulheres camponovenses. Os atendimentos ocorrerão no mesmo horário de funcionamento da Câmara de Vereadores. Será disponibilizado um número de celular para que as mulheres possam em contato com a Procuradoria quando precisar.

A vereadora Celina Manfroi Cassiano Barros destacou as formas em que a Procuradoria irá trabalhar. “Iremos atuar em várias frentes: Iremos divulgar os serviços públicos e do órgão procurador, fiscalizaremos os serviços que estão a disposição da comunidade para ver de que maneiras podem ser melhorados; trabalharemos com acolhimento e atendimento das mulheres, que é o nosso principal foco. Também atuaremos com capacitações, seminários e eventos que envolvam as mulheres no sentido de promover a igualdade de gênero. Traremos temáticas importantes para consolidar e fortalecer a presença das mulheres na sociedade, nos postos de liderança e na construção de uma sociedade igualitária. As mulheres virão até nós, e aqui elas terão um ponto de suporte e apoio para denúncias de todo tipo de violência, como por exemplo, a questão da desigualdade no ambiente de trabalho ou assedio. Nós vamos encaminhar esta denúncia pra órgãos competentes e encaminha-las. Estaremos aqui para atender todas as mulheres”, afirmou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui