Segunda-feira , 11 Dezembro 2017
Home / Agronegócio / 24º Michuim da Coocam comemora o ano e aborda reflexões do agronegócio

24º Michuim da Coocam comemora o ano e aborda reflexões do agronegócio

Evento reuniu associados da cooperativa, amigos, empresários do ramo do agronegócio, entidades do cooperatismo e autoridades.

Aconteceu neste sábado, 25, na Fazenda São João, em Campos Novos, a 24º Edição do Michuim da Coocam,  evento social idealizado e organizado pela Cooperativa Agropecuária Camponovense desde sua fundação em 1993. Além de passar momentos agradáveis, o intuito é fortalecer amizades, estreitar relações de negócios e parcerias.

O evento também teve o objetivo de comemorar o ano agronômico que está encerrando e incentivar o planejamento do próximo ano, pois, mesmo com todas as dificuldades enfrentadas pelos brasileiros, é preciso compartilhar momentos de forma descontraída e ao mesmo tempo discutir as melhorias que podem ser conquistadas por todos.

Durante o evento o Presidente da Coocam João Carlos Di Domenico (Paco) reforçou a importância da confraternização. “O Michuim é um grande momento, pois faz com que as pessoas conversem, confraternizem, discutam os problemas e ajudem a achar as soluções. Vi aqui hoje a noção dos problemas que enfrentamos, a parte rural evoluiu muito tecnicamente, produtivamente, ambientalmente, nós estamos provando por A+B que nós do setor rural, podemos produzir em harmonia com a natureza, podemos utilizar a natureza mas não precisamos destruir. Decide-se uma coisa hoje, muda-se amanhã, para nós sermos otimistas como somos, e pregar otimismo, qualidade de vida, boa conduta, seriedade e trabalho é o que faz o sucesso”.

Para João Carlos está cada vez mais difícil manter a cadeia produtiva. “A necessidade do homem do campo é que os representantes sejam mais ativos, fortes, lutem mais e nos representem, nós temos que fazer a nossa parte e votar nas pessoas certas, nós agricultores, temos que saber quem merece nosso voto e só assim vamos ter mudanças. Um momento como esse de confraternização, de amizade de poder olhar nos olhos, de agradecer nos mostra que pessoas assim, além de nos ajudarem em momentos difíceis nos deram força , nos motivaram e nos ajudaram a crescer, evoluir  cumprir com a nossa missão que é trazer mais riqueza para o homem do campo, mas também mostrar para o cidadão da cidade que nós do campo podemos fazer muto mais por ele também, a Coocam faz isso com seus programas sociais e momentos de festa como esse”.

Durante o evento varias entidades do cooperativismo se manifestaram sobre o ano de 2017 e as perspectivas de 2018.

Claudio Post, Presidente da Fecoagro (Federação das Cooperativas Agropecuárias do Estado de Santa Catarina)  comentou sobre o evento  e a força do cooperativismo em momentos de crise. “A Coocam faz parte do nosso sistema, 2017 foi um ano difícil, mas dentro dessa dificuldade tivemos união, esforço e competência. Vencemos esta etapa e hoje celebramos. A Fecoagro conseguiu em 2017 alavancar negócios na central de compras em Palmitos e atingimos R$ 600 milhões em negócios aumentando a participação no mercado e adubos e temos expectativas boas para 2018”.

José Zeferino Pedroso, Presidente da FAESC (Federação da Agricultura do Estado de Santa Catarina) disse que apesar de  nos últimos anos o agronegócio sofrer, o setor está sempre fortalecido, “Estamos encerrando 2017, não tivemos um ano tão bom quanto 2015, 2016 , mesmo assim a atividade primária (Agricultura e Pecuária), marcaram presença na economia nacional e deu força para melhorar nosso comércio. Ano que vem nossa expectativa não é ter uma safra tão boa quanto este ano, mas temos a vontade de continuar a produzir e ser o protagonista da economia nacional”.

Luiz Vicente Suzin, Presidente da Ocesc (Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina), avaliou o mercado.”Ano passado foi um ano difícil, crescemos 30% e neste ano se percebemos que apesar de ser mais difícil tivemos um crescimento. Santa Catarina que tem um cooperativismo forte, vem se isolando o lado político, tem pensado na economia e no trabalho, e isso é muto importante, por isso estamos crescendo. Esperamos entrar em 2018 com a confiança de continuidade dos trabalhos na Ocesc com o CoperJovem, Mulheres Cooperativistas, JovemCoper e demais eventos e esperando que os políticos olhem mais para quem realiza”.

Airton Spies Secretário Adjunto da Agricultura, representando o Governador Raimundo Colombo também se manifestou. “O Cooperativismo é nossa mola mestre, é a melhor forma de gerar riquezas e compartilhar riqueza. Em Campos Novos a Coocam é um exemplo onde a união faz a força. Tivemos um ano difícil, tivemos uma grande produção de grãos mas o mercado sentiu o reflexo nos preços, o exemplo é o milho com preços abaixo da média. Em Santa Catarina sempre estamos incentivando o que acontece na pesquisa agropecuária e extensão rural (Epagri), defesa sanitária vegetal (Cidasc) e o fomento, onde podemos citar o calcário (Programa Terra Boa), sementes de milho de alta genética, (Programa Cooperativas/Fecoagro), e incentivo a armazenagem e crédito para investimentos em irrigação. Além da bovinocultura e resultados, Santa Catarina sentiu muito menos a crise e grande parte disso é a capacidade da pujança do agronegócio e da agropecuária tecnificada”, finalizou Spies.

O deputado federal Esperidião Amim (PP),  reforçou a representatividade de Campos Novos no agronegócio. “É uma alegria participar de uma festa do trabalho e da geração de riqueza honesta. Aqui estamos vendo a beleza dos valores e da energia da nossa agricultura, do agronegócio, da agropecuária e Campos Novos representa tudo isso, todos os que estão aqui fizeram ou ajudaram a fazer este trabalho nos últimos 12 meses”.

Perguntado sobre a atual pesquisa feita no estado onde nas perspectivas ao governo Esperidião aparece como favorito junto ao Senador Paulo Bauer,  o deputado declarou que uma composição seria uma  tendência. “Nós teremos eleições no ano que vem e no meio das notícias ruins é bom que o povo vá sabendo que terá que escolher, eu defendo que todos votem, se omitir é dar vez para o outro. Nesse sentido a pesquisa e o sentimento das ruas temos que ouvir a voz as vezes meio rouca das ruas, essa pesquisa confirma, do ponto de vista pessoal estou muito feliz, mas ao mesmo tempo me sinto responsável por este grau de confiança. Paulo Bauer foi meu vice e nós o apoiamos em 2014, disse para ele que acho que será imperdoável se o Paulo Bauer pelo (PSDB) e o Esperidião Amin (PP), não estiverem juntos no ano que vem. Como? A escalação do time é uma coisa que você faz 40 minutos antes de começar o jogo, portanto é saber que devemos estar sobre a mesma bandeira e proposta de mudança que Santa Catarina merece”.

O Michuim é uma confraternização exclusiva para homens que se tornou referência e uma das maiores festas do setor do agronegócio da região.

Prato principal

O Michuim, prato principal, é um carneiro recheado, que tem sua especificidade desde o momento do abate até o preparo, com um tempero especial. O prato de origem marroquina, aperfeiçoado pelos franceses foi adaptado para as condições locais.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *