Quinta-feira , 19 Julho 2018
Home / Opinião / Colunistas / Miíase

Miíase

Vanessa Barcarolo

É uma infestação de larvas de moscas no tecido (pele) ou cavidades de animais. Várias espécies de moscas podem causar a miíase. As duas formas da doença são conhecidas popularmente por berne e bicheira.

O berne é a larva da mosca-berneira (dermatobia hominis), que se desenvolve no tecido cutâneo do animal e deixa um buraco (miíase nodular cutânea).

As moscas varejeiras são as moscas que mais causam miíase (bicheira). Está enfermidade é mais comum no verão e outono. Isso por que são períodos chuvosos e o ciclo das moscas fica mais rápido.

A forma biontófaga acomete tecidos sem que eles precisem estar com feridas. Na forma necrobiontófoga, as larvas se alimentam de tecido morto (necrosado). No animal acometido observa-se uma ferida aberta com forte odor, larvas e ao redor tecido necrosado. Se a infestação for grande, o animal pode vir a óbito.

Esta enfermidade é diagnosticada através do exame clínico da ferida. O médico veterinário irá remover as larvas com auxílio de uma pinça. Alguns animais precisam ser sedados para fazer a correta higienização da ferida. O Proprietário deverá continuar lavando a ferida, 2 vezes ao dia e administrando antibiótico e analgésicos por via oral. A administração de um comprimido de nitenpiram (capstar), impede o desenvolvimento das larvas de moscas, na pele de cães e gatos.

Para prevenir o aparecimento de uma bicheira, o proprietário deve sempre verificar se o cão ou gato apresenta alguma ferida na pele ou cavidade (boca, ouvido, olhos e ânus) e tratar imediatamente. É importante proteger a lesão e passar sprays repelentes em volta da lesão.

O local aonde o animal fica deve ser limpo com frequência. O excesso de fezes, restos de comidas e frutas atraem moscas que podem depositar larvas em seu animal de estimação.

Em épocas de calor é importante sempre inspecionar os pêlos do seu animal de estimação a procura de ferimentos, principalmente em cães que ficam em pátios, canil ou soltos.

Por: Vanessa Barcarolo
Médica Vererinária – CRMV/SC 5411
Veterinária da Clínica Bicho Mania

*Coluna publicada no Jornal “O Celeiro”, Edição 1521 de 22 de março de 2018.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *